Festas Religiosas
Dentre inúmeros pólos de interesse que ano após ano atraem à Ilha do Porto Santo milhares de turistas, as festas e romarias ocupam, hoje, um lugar de relevo, sobretudo se estivermos a falar das já consagradas Festas de São João, integradas nas Festas do Concelho, ou até mesmo das Festas das Vindimas que, ultimamente, têm vindo a conquistar notoriedade.


Todavia, não apenas por estas festas é constituído o programa anual de festividades religiosas realizado anualmente no Porto Santo. Seguindo uma ordem cronológica e destacando somente as mais significativas, é de referir logo “à cabeça” os dias de Reis e Sto. Amaro que, festejados respectivamente a 6 e 15 de Janeiro, não costumam passar despercebidos à comunidade portossantense, sobretudo àqueles que, de uma forma mais fervorosa, não perdem a oportunidade para, durante a madrugada e em romaria, correrem de porta em porta, com a finalidade de admirarem o presépio e não só...

Na verdade, este costume já criou raízes profundas e tem vindo a ser mantido ao longo dos tempos, quer através de “heranças culturais” transmitidas de pais para filhos, quer através do prazer que as novas gerações têm vindo a descobrir neste tipo de festividade. Trajados a rigor e de braguinha, rajão ou uma simples pandeireta em punho, alegres grupos de amigos e familiares, que se vão adensando à medida que a noite passa, cantam músicas populares, cuja origem das letras se perde no tempo. A festa é rija e só termina ao cair da aurora.

No entanto, de todas as festividades a mais representativa e aguardada é, sem dúvida alguma, a dedicada a São João, padroeiro da Ilha, e cujas comemorações decorrem de 23 para 24 de Junho, no contexto das Festas do Concelho.

Dada a importância e notoriedade que estas Festas têm vindo a conquistar, nos últimos anos, quer junto da população porto-santense, quer além fronteiras do município, é natural que, actualmente, sejam consideradas o maior cartaz promocional, a avaliar pelos muitos turistas oriundos de várias paragens que, por aquela época do ano, são atraídos à ilha.

Incontestavelmente consideradas como as mais genuínas e peculiares festividades da terra, as Festas de São João constituem, um ex-libris da cultura porto-santense e funcionam como uma autêntica montra na qual, através de variadíssimas actividades de índole popular, cultural e desportiva, é divulgada para o exterior a idiossincrasia e identidade que caracterizam as gentes do Porto Santo. Não obstante toda esta dinâmica, o momento alto deste grandioso evento é vivido na noite de 23 de Junho. Com honras de transmissão televisiva, as Marchas Populares, exibindo os seus característicos trajes e coreografias, desfilam pelas principais ruas da cidade.

No que ao mês de Agosto diz respeito, o destaque vai para duas festas religiosas que, pelo simbolismo e tradição conquistados, continuam a mobilizar centenas de fiéis e admiradores. São elas as Festas de Nossa Senhora da Graça e de Nossa Senhora da Piedade, celebradas, respectivamente, em meados (14 e 15) e finais de Agosto (30 e 31), junto aos templos que lhes dão nome. Cumprida a liturgia que, em ambas as festas, inclui a procissão, seguem-se os arraiais com comes-e-bebes e muita animação.

Estando longe de ser exaustivo e procurando apenas focar, no essencial, as festas de maior proeminência no Porto Santo, seria injusto encerrar este pequeno artigo sem antes fazer alusão às Festas das Vindimas, cuja ascenção tem sido notória a cada ano que passa. Durante os últimos três dias de Agosto, no centro da cidade, são dadas a conhecer a todos os visitantes as diversas castas produzidas no Porto Santo. Um lagar público, com provas de vinho e demonstração do processo da sua feitura, uma exposição de utensílios relacionados com a vinha e ainda animação musical, com grupos de cantares tradicionais, fazem deste evento um marco incontornável no conjuto das Festividades porto-santenses.
PageLines