18.2 C
Porto Santo, Madeira
Domingo, Junho 16, 2024

> Fontanário "Canção da Terra"

PT |
Inicialmente construído no sítio das Matas, no séc. XX, este fontanário foi trazido para o centro da cidade valorizando deste modo o património porto-santense. Constituído por blocos de cantaria vermelha, no centro, e cantaria branca do Porto Santo nas bordas, a sua pia apresenta uma forma semicircular e o pavimento é feito em calçada madeirense (seixo rolado). A sua designação homenageia Jorge Brum do Canto e o filme “Canção da Terra” de 1938, cuja ação decorre na Ilha de Porto Santo e que conta a história de um povo e a sua luta pela carecida água.
RECUPERAÇÃO E REABILITAÇÃO DE MOINHOS DE VENTO, FONTANÁRIOS E CASA DO CONDE – CENTRO DE INTERPRETAÇÃO CULTURAL E AMBIENTAL DO PORTO SANTO
Com mais de 600 anos de história, o isolamento geográfico e a escassez de recursos da ilha do Porto Santo moldaram a relação das suas gentes com o meio envolvente, fazendo da terra e da diversidade geológica a sustentação de todo um património arquitetónico, que perpetua a sua identidade histórico-cultural. A urgência de recuperar este património e a de o conciliar com a valorização do património natural deu origem ao projeto de Recuperação e Reabilitação de Moinhos de Vento, Fontanários e da Casa do Conde como Centro de Interpretação Cultural e Ambiental da ilha do Porto Santo.
Um dos principais objetivos deste projeto, cofinanciado pela União Europeia através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, é o de complementar e enriquecer a oferta cultural do Município, contribuindo para a diversificação e diferenciação da oferta turística baseada nos valores do património natural e cultural desta ilha. Prevê-se que estes novos produtos captem diferentes fluxos turísticos que procurem uma oferta baseada nos valores patrimoniais naturais e histórico-culturais da ilha, enquadrado numa estratégia municipal que valoriza este território enquanto Reserva da Biosfera da UNESCO.
Moinhos de Vento
O moinho de vento está, desde há muito, intimamente associado à ilha do Porto Santo. Longe vão os tempos em que desempenhava um papel importante, quer a nível económico quer a nível social, quando o vento era aproveitado como fonte natural de energia para a moagem de cereais, de extrema importância na alimentação dos porto-santenses. Perdida a sua relevância funcional, permaneceu o moinho como um dos elementos mais graciosos da paisagem porto-santense. No âmbito deste projeto foram recuperados 3 moinhos de vento localizados na Portela.
Fontanários
Ainda na atualidade existem marcas da busca incansável pelo recurso indispensável à sobrevivência das populações, a água, nos inúmeros furos existentes um pouco por toda a ilha. No fim do séc. XIX a Câmara Municipal do Porto Santo mandou construir os primeiros fontanários e lavadores públicos, aproveitando as nascentes que já existiam. Mais tarde, nos anos 50 do século passado, após estabelecimento do novo Plano de Fomento do Porto Santo, que impulsionou os trabalhos da Junta Geral do Distrito, foram construídos vários fontanários rurais, tornando assim a água mais acessível à população. Os fontanários do Porto Santo são o testemunho vivo da cultura porto-santense e eram pontos de encontro entre os seus habitantes onde se partilhavam histórias, cantigas e as vivências da ilha. O transporte da água era feito de forma primitiva, ora acartada em latas às costas, em bilhas e até mesmo em barris, muitas das vezes por homens, pagos para esses serviços. O projeto permitiu a recuperação de 14 fontanários espalhados um pouco por toda a ilha.
Casa do Conde – Centro de Interpretação Cultural e Ambiental do Porto Santo
O Centro de Interpretação Cultural e Ambiental do Porto Santo tem o objetivo de estudar, salvaguardar e promover o património cultural e natural da ilha do Porto Santo junto da população residente e turistas. A referência “Casa do Conde” deve-se ao facto daquele edifício ter sido doado ao Município por Roger Von Norman, conde alemão, que residiu nesta ilha, e que dá nome à rua onde funciona o centro de interpretação.

 

 

 
EN |

 

Originally built at Matas, this fountain was relocated in the twentieth century downtown where it could be better appreciated as part of Porto Santo’s heritage. Made of red stone blocks in the centre surrounded by white Porto Santo stone, the fountain’s font is semicircular and the paving is in the Madeiran style (rolled pebble).  Its name pays tribute to Jorge Brum do Canto and his 1938 film “Canção da Terra” (Song of the Earth) which is set on the island of Porto Santo and tells the story of the people and their struggle for the water they need.
RESTORATION AND REFURBISHMENT OF WINDMILLS, DRINKING FOUNTAINS AND THE CASA DO CONDE – PORTO SANTO’S CULTURAL AND ENVIRONMENTAL INTERPRETATION CENTRE

 

One of the main goals of this project, co-financed by the European Union through the ERDF (European Regional Development Fund) is to supplement and enrich the Municipality’s cultural offer by helping to diversify and differentiate the presentation to tourists of the island’s natural and cultural legacy.  These new products are intended to appeal to different tourist flows keen on tourism based on the island’s natural, historic and cultural heritage as part of a municipal strategy that values this territory for what it is: a UNESCO Biosphere Reserve.
Windmills
Windmills have long been intimately associated with the island of Porto Santo.  Long gone are the days they played an important economic and social role, when wind was used as a natural energy source for milling grain, a staple in the Porto Santo diet.  Their functional relevance has been lost but windmills are still one of the most delightful features of the Porto Santo landscape. Three windmills at Portela have been refurbished under this project.
Drinking Fountains 
The ceaseless quest for water, vital for survival, is still evident today in the countless boreholes all over the island.  At the end of the nineteenth century, Porto Santo Town Hall had the first drinking fountains and public wash-houses built on the site of existing springs.  Later, in the 1950s, after the drafting of the new Plan for the Promotion of Porto Santo, which speeded up the work of the District General Council, various rural drinking fountains were built, making water more accessible to the population.  Porto Santo’s public drinking fountains are the living proof of Porto Santo culture.  They were meeting places where people swapped stories, songs and the latest island gossip.  Water was transported in a primitive way, sometimes in tins on one’s back, in jars, or even in barrels, often by men paid for these services. The project has enabled 14 fountains scattered all over the island to be restored.
Casa do Conde (Count’s House) – Porto Santo’s Cultural and Environmental Interpretation Centre
The purpose of Porto Santo’s Cultural and Environmental Interpretation Centre is to study, safeguard and promote the cultural and natural heritage of Porto Santo island among residents and tourists. The name “Count’s House” refers to the donation of the building to the Municipality by Roger von Norman, a German count, who lived on the island and gave his name to the street where the interpretation centre is located.
With a history of over six hundred years, Porto Santo’s geographical isolation and lack of resources have shaped how its people relate to the environment around them, so that the land and its diverse geology underpin its whole architectural heritage embodying its historic and cultural identity.  A pressing need to restore this legacy, in conjunction with greater appreciation of the natural heritage led to the project for the Restoration and Refurbishment of Windmills, Drinking Fountains and the Casa do Conde (Count’s House) – Porto Santo’s Cultural and Environmental Interpretation Centre.

 

 

 

 

 

 

Câmara Municipal do Porto Santo 
Edifício de Serviços Públicos
Rua Dr. Nuno Silvestre Teixeira,
Apart. n.81 9400-162 Porto Santo

Contatos:
Telf: (+351) 291 980 640
Fax: (+351) 291 982 860
E-mail: geral@cm-portosanto.pt