20.2 C
Porto Santo, Madeira
Quinta-feira, Maio 23, 2024

> Fontanário da Fontinha

PT |

Construído no ano de 1844, este fontanário surge como forma de resolver os problemas estruturais que o antigo Chafariz da Fontinha apresentava, uma vez que era objeto de constantes intervenções. Também conhecida como “Fonte Velha”, é desconhecida a data da primitiva construção, sendo que no ano de 1827 já existiam referências da mesma.

Apresenta um arco pleno rematado por uma cornija e possui uma pia de cantaria local, pintada de cinzento.  No exterior existe uma inscrição com as iniciais da Câmara Municipal do Porto Santo e com a data da sua construção. Em tempos, do seu amplo espaço, faziam parte bebedouros.

O teto é composto por pedra do Porto Santo sendo que nas várias peças que o compõem existem marcas de canteiro (profissional que talhava a pedra), que surgem a través de símbolos, como forma de identificação do trabalho, que outrora era pago à peça talhada, uma vez que na maioria dos casos os profissionais eram analfabetos

A água mineral deste fontanário, proveniente da nascente da Fontinha, sempre foi conhecida pelas suas características medicinais e terapêuticas tanto para a pele, como para o aparelho digestivo, sendo a mesma alvo de análises, em Paris, no ano de 1893, obtendo resultados de excelência.

Este espaço era um local de encontros, de convívios, de conversas, onde as mulheres lavavam a roupa e muitas vezes bordavam, enquanto esperavam que as latas se enchessem de água, por vezes entre 2 a 3 horas.

Diretamente ligada a este fontanário está a antiga Fábrica das Águas do Porto Santo, construída no ano de 1922. Atualmente devoluto, este edifício de 2 pisos funcionou entre 1924 e 1990, engarrafando água da nascente da Fontinha, que em 1908 ganharam o primeiro prémio, medalha de ouro, na Exposição Nacional Comemorativa do 1º Centenário da Abertura dos Portos do Brasil. Estas águas eram comercializadas na Madeira, Portugal Continental, Angola, Guiné e Brasil e o seu transporte até à ilha vizinha era feito nos barcos carreireiros.

“Porto Santo”, uma música que ficou para sempre na história da música ligeira portuguesa, teve origem numa encomenda solicitada a Maximiano de Sousa pela “Águas do Porto Santo”, para uma publicidade radiofónica no início dos anos 50 do séc. XX, tornando-se canção de repertório.

Os Fontanários eram indispensáveis para a vida da comunidade e como tal, a Câmara Municipal quis disciplinar a utilização dos mesmos para evitar a sua degradação e garantir que todos podiam usufruir da água. Para isso, aprovou uma postura reguladora, no ano de 1844, que continha os seguintes parâmetros:

“Artigo 1.º toda a pessoa que lavar ou fizer immundices junto das fontes públicas, ou nellas escamar peixe, ou praticar outro qualquer acto desta natureza, fica sojeio a pagar a multa de 500 reis pela 1ª. Vez e dobro pela segunda, e assim seguidamente.

Paragrafo único – Exceptuão-se as Lavadeiras que poderão lavar as roupas em lugar para isso destinado, ainda que seja próximo das ditas fontes; contando porem que não sejam embarreladas, ou que contenhão objectos que cauzem fétido junto ás dittas fontes, tudo debaixo da pena de duzentos reis.

Artigo 5.º- Haverá um guarda pago, e ajuramentado, pela Câmara Municipal para vigiar sobre o chafariz no sítio da Fontinha, desta Villa, ficando exclusivamente encarregado: 1.º de denuncia do contraventor, ou contraventores da presente Postura relativo ao estabelecido a respeito da Fonte. 2º – lavar todos os tanques da mensionada Fonte uma vez por semana, que será ao sábado, e o das Lavadeiras será duas vezes por semana; e assim mais varrer o circuito da mesma Fonte, uma vez por semana”.

SANTOS, RUI – “Coisas do Porto Santo”, Cadernos Madeirenses 5, Secretaria Regional do Turismo e Cultura, Direção Regional dos Assuntos Culturais, Funchal, 2021, ISBN: 972-648-143-0;

EN | 

This drinking fountain was built in 1844 to solve the structural problems of the old Fontinha Chafariz which was always having to be repaired.  No one knows when it was first built but there are references to it as far back as 1827.  Another name for it is the “Old drinking fountain”.

It has a full arch, topped by a cornice, and has a font made of local stonework, painted grey. The outside bears an inscription with the initials of Porto Santo Town Hall and the date when it was built.  At one time, its ample space included cattle troughs. 

The vaulted roof is made of Porto Santo stone.  The various individual component stones show mason’s marks in the form of symbols.  Most stonemasons were illiterate, so these marks were a way of identifying their work, as payment used to be by piecework.

The mineral water from this drinking fountain which comes from the Fontinha spring, has always been known for its medicinal and therapeutic properties for both the skin and the digestive system.  It was prized for its excellence when analysed in Paris in 1893.

The fountain was a place for meetings, social gatherings and gossip.  It was where the women would wash clothes and, many a time, do embroidery while waiting, sometimes for two to three hours, for their water containers to fill.

Directly connected to this drinking fountain is the old Porto Santo Fábrica das Águas (Water Bottling Plant), which was built in 1922.  No longer in use nowadays, this two-storey building was operational from 1924 to 1990 bottling water from the Fontinha spring. In 1908 these waters won first prize, the gold medal, at the National Exhibition commemorating the first Centenary of the Opening of Brazil’s Ports.  These waters were shipped by sailing freighter (barcos carreireiros) to Madeira and then marketed in mainland Portugal, Angola, Guinea and Brazil.  

The song “Porto Santo” which will forever have a place in the history of Portuguese light music, was commissioned from Maximiano de Sousa by Águas do Porto Santo for a radio advertisement in the early1950s.  It is now a golden oldie.

Drinking fountains were a vital part of community life and, as such, the Town Hall wanted to regulate their use so they they were not damaged and ensure that everybody could have use of the water.

Câmara Municipal do Porto Santo 
Edifício de Serviços Públicos
Rua Dr. Nuno Silvestre Teixeira,
Apart. n.81 9400-162 Porto Santo

Contatos:
Telf: (+351) 291 980 640
Fax: (+351) 291 982 860
E-mail: geral@cm-portosanto.pt